Artigo: Nem Tudo é Mesmice

Ocupação na Câmara de Ribeirão Preto contra o aumento de salários dos vereadores

Por Vinícius Barros, Gestor do Pontão de Cultura Sibipiruna

 

 

Existem situações na vida onde a realidade parece ser uma verdadeira alucinação. Contra tudo e contra todos ela se impõe perante nós com os requintes do absurdo, deixando uma concreta sensação de incredulidade. Nesses momentos é preciso ter uma serenidade gandhiana para não reagir de maneira violenta ou mesmo desistir de tudo. Esses são os momentos onde se faz necessária uma profunda reflexão, neste caso, sobre a mesmice e a sua irritante insistência.

Alguns dias depois de receber o resultado das eleições para vereadores em Ribeirão Preto, a sensação é de que toda a atuação dos movimentos sociais pela renovação foi inócua. Desde que foi caçado o ex-vereador Oliveira Júnior com forte participação da população organizada, ocorreram uma série de mobilizações fortemente críticas à atual Câmara Municipal. No entanto, 14 dos atuais 20 vereadores se mantiveram no legislativo, um índice de reeleição por volta de 70%, já que apenas 18 concorreram.

Em 2012 os vereadores desta municipalidade cometeram erros terríveis e que levaram grande parte da população a um questionamento legítimo de suas competências. Além de aumentarem as cadeiras na Câmara, aumentaram também seus próprios subsídios, tudo isso sem nenhuma consulta pública. Além disso, reagiram contra a rejeição popular, ora ignorando a população, ora lhe tolhendo a voz ativa. O poder público se apartou da sociedade civil nos últimos meses gerando um grande hiato político na cidade.

Por que então o povo decidiu que quase todos eles continuassem? Para responder isso precisaríamos de muitas e muitas linhas corroboradas por antropólogos e sociólogos, enfim, estudiosos desta nação historicamente herdeira das mais vis tiranias. Seria difícil explicar de forma simples, principalmente para aqueles que, como eu, duvidam piamente que a reeleição significa “bom trabalho e reconhecimento”.

Porém, como diz o título, nem tudo é mesmice. Os últimos acontecimentos da politicagem levaram a sociedade a atingir um novo patamar de organização. Movimentos sociais estão surgindo e se desenvolvendo, quase sempre alimentados pela autonomia da internet e por uma nova cultura política que encontrou eco nas redes sociais. Hoje a opinião não é mais necessariamente massificada pelos meios tradicionais de comunicação, existe produção e emissão de ideias alternativas e extremamente desafiadoras ao status quo.

Os últimos episódios políticos de Ribeirão Preto deram uma nova perspectiva aos insatisfeitos. Hoje, é possível engajar-se na política sem necessariamente ter que filiar-se a um partido, pois a sociedade civil vem ampliando a sua autonomia frente aos velhos interesses e projetos de poder. Por mais que continuem, por mais que riam de quem os rejeitou, a velha ordem tende a enferrujar pela implacável ação do povo organizado. Muito otimista? Poder ser que sim, mas esta é a luz que ilumina o caminho de quem busca uma democracia real.

 



Deixe um Comentário