Dresden mistura sua música a outros artistas para lançar primeiro disco

Malabares, dança, teatro e projeções audiovisuais devem surpreender o público durante o show

No dia 11 de março, sexta-feira, a banda Dresden lança seu primeiro álbum intitulado ‘Mulheres Sozinhas Cheirando a Flores Mortas’. O show de lançamento do disco traz também uma nova proposta apresentação. Concebido como um espetáculo, o show conta com a participação de artistas de diversas linguagens. A banda se junta à linguagens como malabares, dança conteporânea, performances cênicas, artes plásticas e projeções audiovisuais para criar uma experiência sensorial que vai além de um show instrumental comum.

O lançamento acontece no Teatro Municipal as 20h. Os ingressos custam R$10 e podem ser comprados antecipadamente nos seguintes pontos de venda: Coletivo Fuligem, Retroq, Pasck Tattoo, Memorial da Classe Operária – UGT, Porto Açaí Barão

A criação do espetáculo é coletiva e foi feita de maneira colaborativa, contando com artistas da cidade natal da banda, tendo como colaboradores as bailarinas Ana Luiza Yosetake e Isabela Pessotti, a bamblista Sabryna Murali, o malabarista Mamute, o ator Luiz Gustavo Porto e a artista plástica Marina Pontin. No audiovisual a banda contará com a psicodelia projetada dos parceiros Correria Filmes e Imagem Sonora e com o olhar do fotógrafo Raphael Inácio.

O disco Mulheres Sozinhas Cheirando a Flores Mortas foi gravado no estúdio Xuguinéia em Ribeirão Preto em uma situação um tanto peculiar, completamente ao vivo. “Ou seja, errou um pedacinho? Volta desde o começo. Em outras palavras durante a gravação os músicos se viram amarrados, uns aos outros e os outros em um, já que estava sendo tudo captado na mesma sala e ao mesmo instante. A escolha por este formato foi para aproveitar ao máximo a energia, a viceralidade e a variação natural do andamento que têm ao vivo”, afirma o guitarrista Rafael Dorado.

OUÇA: Ninguém entende de mulher/ Comprei um mamute, mas não coube em casa

Dresden é um projeto musical que tem como ideia principal fazer trilha sonora, instigar a imaginação e a sinestesía por meio de frases sem palavras. Foi criada no fim de 2013 em Ribeirão Preto, pelos guitarristas Rafael Dorado e Ted Alves, o baterista Leandro Barcellos e o baixista Rodrigo Melo; amigos que tocavam juntos desde 2007 em outros projetos. Com a saída de Rodrigo, Marcus Maximos assumiu o baixo em 2015.

O título do disco faz referência ao romance “Cem anos de solidão” do escritor colombiano Gabriel Garcia Márquez; em uma passagem do livro um personagem entra em um prostíbulo e ao descrever o local e o ar presente diz haver “mulheres sozinhas cheirando a flores mortas”, A quarta faixa que leva o mesmo nome do disco de certa forma resume um pouco o “clima” sugerido pela banda, na intenção de convidar quem estiver escutando a colocar algo de si, provocando a sinestesia não apenas pelo som, mas também por meio dos títulos das músicas; instigando a imaginação de quem escuta. Como em toda obra de arte a interpretação é particular.

“A nossa interpretação é de que esta frase não se refere propriamente às mulheres ali presentes, mas, assinala algo além, que é a solidão. E não estamos falando de estar só, no sentido de não ter a presença real de alguém, mas, uma solidão que é condição humana; estar só com os próprios desejos, afetos e tudo aquilo que não se pode dividir por mais que se queira. É a leveza e peso de ser o que se é.” comenta, Dorado.

 

Serviço:
Lançamento do cd ‘Mulheres sozinhas cheirando a flores mortas’ – Banda Dresden.
Local: Teatro Municipal (Praça Alto do São Bento s/nº) Ribeirão Preto SP.
Horário: 20h
Convite: R$10,00
Pontos de venda:
> Coletivo Fuligem (Travessa Tuiutí, 55, Jardim República – 16 36206369)
> Retroq (Rua Iara, 204, Jd Paulista)
> Pasck Tattoo (o estúdio fica dentro do Goa Lounge, Rua Comandante Marcondes Salgado, 1621)
> Memorial da Classe Operária- UGT (Rua José Bonifácio, 59)
> Porto Açaí Barão (Rua Ramos Azevedo, 389, Jd Paulista, ao lado do Centro Universitário Barão de Mauá)



Deixe um Comentário