Mídia alternativa?

Quando falamos em mídia comunitária, estamos pensando de alguma forma na palavra alternativa. A palavra está ligada à mídia que tem como proposta ser um canal de expressão diferente da grande mídia. Suas propostas são percebidas, de acordo com a pesquisadora Cicilia Peruzzo, na direção político- ideológica, na proposta editorial (enfoque e escolha das pautas), abordagem crítica, estratégias de produção e ação (vínculo local, participação, liberdade de expressão, uso mobilizador).

Existem tantas outras nomenclaturas, como contracomunicação, comunicação subalterna, radical,horizontal e participativa. É possível diferenciá-las, porém, o importante aqui é pensarmos na maneira que estamos tratando a comunicação, qual relevância estamos dando ao que ouvimos, falamos, lemos, escutamos e como a comunicação está relacionada com a comunidade ( ou comunidades) que participamos.

Somos todos de alguma forma co-responsáveis pelo que passa pela nossa televisão, rádio, pelos jornais, revistas… Se falta opção, se os meios de comunicação que conhecemos estão distantes da realidade em que estamos inseridos, porque não criar outras formas, porque não lutar para uma comunicação efetivamente mais democrática?

Para inspirar:

http://www.direitoacomunicacao.org.br/

http://www.intervozes.org.br/

http://www.adital.org.br

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/

http://www.abraconacional.org/



Deixe um Comentário