Ribeirão Preto gritou dia 11 no Teatro de Arena

E então Ribeirão Preto gritou! Dia 11 de março o Teatro de Arena foi palco do Grito Rock 2011 América Latina com as bandas Lisabi (Campinas-SP), Pé de Macaco (Bauru-SP), Chavala Talhada (Ribeirão Preto-SP) e Vandaluz (Patos de Minas-SP), além das intervenções cênicas do Grupo Zibaldoni e do ator Léo Santarosa. Com o oferecimento da Loja Crazy Miranda T-Shirts e o patrocínio da Choperia e Costelaria Lig Chop e da Rock n Road Turismo e Shows, o festival reuniu cerca de 500 pessoas em uma sexta-feira chuvosa.

Vista da parte de cima do Teatro de Arena

Vista da parte de cima do Teatro de Arena

O começo do GR Ribeirão Preto foi literalmente debaixo de chuva. O que não foi o bastante para desanimar a banda Lisabi e o público presente, alguns munidos de guarda-chuvas e capas de chuva. Os garotos de Campinas esquentaram a pista com seu hardcore melódico e seus metais. “Eu quero que o pessoal dance mais perto do palco, já estamos tomando chuva mesmo”, desafiava os integrantes da Lisabi. E parece que deu certo. A energia do show contagiou o público e mandou a chuva embora, que parou no meio da apresentação da Lisabi.

Sem a chuva, uma parte do público, que ainda se concentrava na frente do Teatro de Arena, resolveu gritar também. Foi o momento da primeira aparição dos palhaços do Grupo Zibaldoni. Napolino e Bisgoio fizeram o público entrar no picadeiro do Gran Circo Internacionale com suas trapalhadas. O ator Léo Santarosa, caracterizado como um hippie do woodstock, veio ao palco para anunciar a próxima atração, a banda Pé de Macaco.

A mistura de rock n roll, forró, blues, ska e outras vertentes musicais acertou em cheio o público ribeirão-pretano. Empolgados por estarem tocando no Teatro de Arena, afinal dois dos integrantes são de Ribeirão Preto, a banda Pé de Macaco fez um show onde transbordava energia. Cheio de improvisações e mudanças de ritmo, a banda bauruense parece ter agradado o público, já que vendeu mais de 15 discos na noite.

A banquinha do Grito Rock Ribeirão Preto foi uma atração à parte. Montada dentro da Kombi do Grupo Zibaldoni, a lojinha ficou rodeada a noite inteira. Foram vendidas camisetas, cd’s e até livretos de poesia. As janelas da Kombi também serviram de estandarte para a exposição de desenhos do artista plástico Renan Baltazar.

Mais uma aparição de Napolino e Bisgoio e então o hippie maluco anuncia a próxima atração, a maliciosa Chavala Talhada. Nesta hora o público não se conteve o lotou a área central do Teatro de Arena para dançar o samba rock n roll dos ribeirão-pretanos. O show da Chavala surpreendeu o público pela segurança dos músicos e foi um dos momentos quentes do Grito Rock. Depois de fazer o Arena tremer, agora a Chavala se prepara para levar a mesma energia aos Gritos de São Carlos e Campinas.

Close da Chavala Talhada durante show no Grito Rock

Close da Chavala Talhada durante show no Grito

Por último vieram a música e a poesia da banda Vandaluz. Com um show totalmente interligado com projeções audiovisuais, os mineiros fecharam a noite com chave de ouro. O humor irreverente de suas letras fez com que o público que ainda estava no Arena dançasse até a última nota. Foi quando a chuva voltou a cair em forma de chuvisco. Porém, nessa altura do campeonato, o público já tinha caído por completo no rock n roll e não se importou.

O Grito Rock 2011 América Latina foi uma grande escola para o Coletivo Fuligem e uma vitrine para o Teatro de Arena. O festival mostrou que este espaço merece ser valorizado e que o público ribeirão-pretano gosta demais de lá. Agora é esperar por mais…

Em breve

- Grito Rock 2011 Ribeirão Preto em vídeo

- Grito Doc Ribeirão Preto: As artes cênicas no GR

Frame de prévia do vídeo do Grito Rock

Frame de prévia do vídeo do Grito Rock



Deixe um Comentário